Carro 0 km ou semi-novo? Vantagens e desvantagens

O automóvel é um sonho que cada vez está mais acessível, devido ao acesso facilitado ao crédito e a redução de impostos do Governo, o que falta ao consumidor é escolher entre um veículo 0K ou um usado e para fazer esta decisão, diversos aspectos devem ser levados em conta.

Um dos maiores sonhos dos consumidores brasileiros é comprar um carro, portanto esta escolha está subindo de nível, ou seja, a maior dúvida atualmente é se compra um veículo novo ou usado, pois qualquer uma das opções possuem vantagens e desvantagens.

Quem não gosta de um veículo com cheirinho de novo, em uma das marcas mais favoritas, saindo de fábrica, sem nenhum tipo de problema mecânico e se tiver algum problema de fabricação, é feito um recall gratuito, ou seja, o carro novo possui diversas vantagens, que animam muitas pessoas a obterem um.

Mas para quem pensa que um veículo novo possui só vantagens, está muito enganado, pois as principais desvantagens estão relacionadas ao bolso, como por exemplo, a rápida desvalorização ao sair da concessionária, se na loja não tiver um carro a pronta entrega, deve esperar a chegada do mesmo, além das revisões serem feitas em um curto espaço de tempo e torcer para que não precise de recall.

Os modelos de carros da Renault são um dos carros que menos necessitaram de recall nos últimos anos, o que dá maior confiança nesta marca no Brasil e que vem crescendo com o passar dos anos. O novo Sandero é uma ótima escolha para você. Acesse o site que está no link e conheça mais sobre o modelo da montadora francesa que é sucesso no país.

Quando se pensa em carro usado se pensa em menor custo, como no seguro e no emplacamento, pois não será necessário emplacar de novo, no preço de um carro 0K, você pode comprar um carro usado com vários itens, como direção hidráulica, vidro elétrico e se tiver sorte, pode levar um veículo com baixa quilometragem e na garantia, o que pode dar uma tranqüilidade na hora de fechar negócio.

Portanto pense nos diversos aspectos que devem usar na hora de realizar o sonho de ter um carro, pois com critério e cuidado, o carro pode virar realidade e não um pesadelo.

Quem foi que disse que não se bebe no chopp no inverno?

Não falta quem pense que o chopp é o tipo de bebida que só combina com os dias quentes de verão. Ledo engano! Ele também é perfeito para o inverno, mesmo com as temperaturas mais baixas de Curitiba.

Isso se justifica pelo fato do chopp ser extremamente saboroso e encorpado, sendo inclusive mais cremoso, características que são típicas das bebidas de inverno e dias mais frios.

O grande diferencial é que o chopp agrada a todos os paladares e é uma bebida versátil, já que combina com diversos momentos, como almoços e jantares, churrascos, festas de aniversário e reuniões de amigos.

Como se já não bastassem essas vantagens, o valor do barril de chopp Curitiba é acessível. Justamente por isso a bebida é uma excelente pedida para quem deseja fazer festas, recepções ou eventos e servir algo saboroso e de qualidade para todos os seus convidados.

Além disso, existem diversas versões da bebida para investir. A Chopp Germânia, por exemplo, fabrica o clássico chopp claro, que é produzido com materiais de alta qualidade, garantindo sabor e leveza únicos para a bebida.

Há ainda o Chopp Germânia Escuro, outra combinação perfeita para o inverno por ter sabor que equilibra o doce e amargo, resultando numa bebida que proporciona uma experiência gustativa diferenciada.

Para quem gosta de vinho e chopp, há uma ótima opção para servir neste inverno, o Chopp com Vinho Germânia, famoso por harmonizar os sabores e aromas de ambas as bebidas.

Outro chopp Germânia para investir, principalmente na temporada de inverno, é o Black, que se caracteriza por ter processo de fabricação diferenciado que confere para a bebida alta leveza e cremosidade.

Se curtir bebidas artesanais, uma excelente sugestão é o chopp Slow Beer Germânia, que é mais encorpado, tem sabor e aroma acentuados e nenhum conservante químico.

Aproveite para saborear essas deliciosas bebidas neste inverno, não importa qual seja a ocasião. No entanto, lembre sempre de beber com moderação e, caso esteja com carro, não dirija. Chame um táxi para ir embora ou entregue a chave do veículo a quem não bebeu. Assim, dá para garantir um retorno a casa seguro.

A Emocionante Paraty

Sempre que me encantava com uma paisagem, fosse em um quadro, em um livro, ou em uma revista, me dava saudade de não sei o que, uma sensação de estar vendo um lugar que me trazia conforto na alma.
Principalmente os casarões antigos, suas ruelas, mobiliário antigo de época. Nossa que impressão gostosa, boa mesmo!

Mas engraçado, na verdade eu jamais havia estado em qualquer lugar parecido. Ou naquela época, ou naquele tempo.

De onde viriam essas lembranças?

Bem, eis que um dia ao começar a trabalhar em São Paulo em uma empresa que tem um Hotel em Ubatuba e minha função seria vender pacotes de estadia, meu chefe me propôs conhecer primeiro o Hotel para poder saber o que estava oferecendo aos hospedes.

Ok! Me preparei para passar um final de semana prolongado em Ubatuba, para entender todo o funcionamento.

Quando já estava a caminho, por conta dessas surpresas do destino, toca o telefone e meu chefe me pediu se eu poderia dar uma esticadinha até Paraty em uma outra propriedade deles para apanhar um documento importante, que eles precisariam com urgência.

Eu adorei, pois além de nunca ter ido a Paraty, ainda ficaria hospedada com toda mordomia.

Qual não foi minha surpresa ao entrar na Cidade.

Meu Deus! Aquelas ruas, aquelas casas, aquelas flores, aquelas Pousadas em Paraty.

Comecei a chorar. Como aquela cidade que eu nunca havia visto antes poderia ser a mesma de tantos desejos, tantos sonhos, tanta saudade?

Passei os melhores dias da minha vida. De encontro com algo nunca antes vivido ou visto.

Fiquei naquela empresa apenas por 1 ano, depois o destino me levou a outros mares. Mas aquela sensação nunca saiu de dentro de mim.

 

Saiba quais os documentos necessários para comprar ou financiar a casa própria

O sonho da casa própria está cada vez mais perto do brasileiro. E uma das etapas mais importantes no processo de aquisição de imoveis ABC ou em outra região, é a verificação dos documentos para que a compra ou financiamento seja segura.

Matrícula do Imóvel

A matrícula é obrigatória para a aquisição de bens imóveis. Neste documento estará toda a história do imóvel.
Certidão Negativa de Débito/ IPTU

Este documento possibilita ao cidadão ou pessoa jurídica verificar a existência ou não de dívidas com a Prefeitura da sua cidade.

Certidão do distribuidor cível, criminal, trabalhista, Justiça Federal, Receita Federal e protesto

Com o objetivo de tornar a compra do imóvel ainda mais segura, é importante exigir do vendedor certidões que atestem se ele responde por alguma ação cível, criminal, trabalhista, executivos fiscais (municipais, estaduais ou federais), ou ainda se constam protestos em seu nome.

Certificado de Conclusão – “Habite-se”

O “Habite-se” é um documento que atesta que o imóvel foi construído seguindo as exigências estabelecida pela prefeitura para a aprovação de projetos. Sem este certificado o imóvel não pode ser habitado.

Declaração de inexistência de débitos condominiais

Quem está procurando por imóveis prontos em condomínio deve procurar o síndico e solicitar a declaração para certificar-se de eventuais dívidas do imóvel em relação ao condomínio. Débitos condominiais são sempre de responsabilidade do atual proprietário.

Documentos exigidos pela Caixa Econômica Federal para financiar imóvel:

- RG / CPF/ Comprovante de endereço

- Comprovante de estado civil

- Comprovante de renda original

- Certidão conjunta negativa de débitos relativos a tributos federais e dívida ativa da união

Certidão negativa de propriedade do imóvel (se for utilizar financiamento com recursos do FGTS ou o Plano Minha Casa, Minha Vida)

O banco também irá realizar uma análise cadastral. Se o futuro comprador tiver o nome negativado em algum dos Serviços de Proteção ao Crédito, o financiamento não será aprovado.

Para mais detalhes, veja a matéria completa e encontre imóveis a venda no ABC no site do Guia Imóvel e Cia.

Calcular Porcentagem

Quem tem interesse em prestar concurso na área bancária como os do Banco do Brasil e Caixa, aprender matemática financeira é essencial. Um bom começo é aprender a calcular porcentagem. Digo que é um bom começo porque é a base para outras matérias da matemática financeira como juros simples, juros composto, desconto simples, desconto composto, etc.

Porcentagem representa uma parte de um número. Quando dizemos que João ganha 50% do salário de Maria, isso significa que João ganha somente a metade do que a Maria ganha. Em números, se Maria ganha R$ 1600 reais, então João ganha R$ 800 reais.

Em nosso cotidiano podemos notar várias situações reais que envolvem o uso da porcentagem. Um dos acontecimentos mais comuns é na hora de negociar um desconto com algum vendedor. Quando queremos comprar algo, geralmente perguntamos o preço e logo em seguida pedimos um desconto e é nessa hora que entra a porcentagem. Ao pedir um desconto o vendedor, para não perder a venda lhe oferece um desconto de 5% (cinco porcento). Sendo assim, quanto pagaremos se o produto que estamos negociando custa R$ 300 reais? É simples e tem duas maneiras de resolver.

1º modo

Se o desconto foi de 5%, então pagaremos somente 95% de R$ 300 reais, ou seja:

300*0,95 = 285 reais

2º modo

Calculamos o valor do desconto e subtraimos dos R$ 300 reais, assim:

300*0,05 = 15 reais

300-15 = 285 reais

Resumindo, para calcular porcentagem de algum número basta múltiplicar esse número pela porcentagem.

Porcentagem é isso, quem quiser aprender vou explicar como calcular juros simples em outro post.

Para praticarem, montei uma lista com 10 exercícios de porcentagem.

Que tipo de comida não é recomendado servir em casamentos?

Depois da cerimônia, a festa de casamento é sempre um dos momentos mais aguardados pelos noivos e convidados. Curiosamente, a comida da comemoração desempenha um papel importante para tornar esse momento inesquecível.

Por isso, é preciso saber escolher um buffet casamento em Curitiba adequado. Pensando em lhe ajudar a evitar constrangimentos e agradar todo mundo, eis uma lista do que não servir na sua comemoração. Vale a pena segui-la para acertar no cardápio!

- Comidas exóticas: nem todo mundo gosta desses tipos de prato, o que pode representar um desperdício para o casal, já que as chances de sobrar alimentos são maiores.

Mas isso não quer dizer que pratos exóticos devem ser totalmente evitados. Eles podem ser inseridos no cardápio, desde que com parcimônia, equilibrando-os com alimentos tradicionais, para atender quem não gosta de comidas diferentes.

- Petiscos e pratos muito difíceis de comer: alimentos que exigem técnicas especiais para serem degustados ou ainda que esfarelam ou sujam a boca e mãos não devem fazer parte do cardápio.

Quanto mais descomplicado, melhor. Não é à toa que as Finger Foods, que nada mais são do que pratos e aperitivos em pequenas porções, estão tão em alta em festas de casamento, pois eles são mais fáceis de comer e não geram tanta sujeira.

- Ingredientes que provocam alergia: é difícil saber quem na sua lista de convidados tem alergia a alimentos. Mas, dá para evitar esse problema deixando de fora do cardápio pratos com ingredientes que causam alergia. Dentre eles, estão o amendoim, nozes, pimentão e frutos do mar.

- Alimentos ‘pesados’: evite-os sempre que possível. Pratos com alto teor calórico e elevado índice de carboidratos tendem dar sonolência, o que pode acabar com a animação de seus convidados ou até mesmo fazer com que passem mal.

O recomendado é apostar num cardápio com pratos balanceados, nem tão calóricos, mas também não tão leves, para dar saciedade aos convidados sem deixá-los com sono.

- Alimentos que sujam a roupa: melhor prevenir do que remediar, portanto, sirva pratos que não mancham facilmente a roupa do convidado. Ótimos exemplos para serem evitados são o molho de tomate e a beterraba.

As diferenças entre meninos e meninas

Antes de completar seus primeiros 10 anos, não existem grandes diferenças entre meninos e meninas, exceto pelas diferenças externas, impostas por seus pais. Ao final da adolescência, as diferenças são enormes, com os jovens homens tentando aprender o que é PUA, enquanto as jovens mulheres têm como foco encontrar o amor verdadeiro.
Quando é que essas diferenças aparecem? Apesar de todos termos passado por esta mesma transição entre as fases infantil e adulta, não há muito pensamento consciente a respeito dela. As meninas simplesmente aceitam que devem focar-se em procurar uma carreira de sucesso, manterem-se jovens para sempre, e encontrarem o amor romântico perfeito que vai lhes trazer felicidade por toda a eternidade. Estou sendo sarcástico, mas o mesmo ocorre com os meninos. Eles (nós) engolimos sem questionar todas os preconceitos que nos estão sendo ensinados. Acreditamos que não há forma de se aprender como chegar em uma menina, que temos que ser gentis e esperar pela boa vontade de alguma menina feiosa, por que as bonitas já estão todas ocupadas com os jogadores de futebol e homens ricos.image

Não é razoável esperar que as meninas e os meninos consigam se defender de uma sociedade inteira.
Mas há um ponto, escondido em algum lugar da adolescência de cada pessoa, em que tudo muda. Este ponto crucial marca o momento em que deixamos de ser o que nos dizem que devemos ser. É o ponto da rebeldia. Na verdade, esta rebeldia é velha conhecida de psicólogos e educadores, mas a experiência que eles têm parece embotar sua percepção. A rebeldia adolescente não é uma rebeldia completa: ela é uma espécie de rebeldia de butique. O adolescente rejeita seus guias, pois já criou um substituto interno com a mesma função.
Ao invés de seus pais e professores, o adolescente – seja menino ou seja menina – descobre que possui as mesmas faculdades de seus pais. Em vez de continuar delegando a função de carrasco para seus pais, ele ou ela resolve internalizar o seu carrasco. Isso começa com um certo senso de liberdade, mas depois cede lugar à opressão característica da vida de todo adulto. Não há nenhuma distinção absoluta entre um e o outro, não há absolute distinction.

Acreditar em Deus ou Não?

O problema que tenho com exageros da Bíblia é o mesmo problema que tenho com não-crentes – no que eles baseiam suas crenças? É o que estudaram ou o que lhe disseram?

Provavelmente há uma porcentagem muito grande de crentes na Bíblia que nunca leu o suficiente da Bíblia para compreendê-lo a ponto de serem chamados de crentes na Bíblia. A maioria dos cristãos que conheci não têm idéia do que a palavra de Deus realmente diz em muitos casos. É tão difícil de pegar a Bíblia, que é mais fino do que muitos livros de capa dura e ter tempo para ler o ela que diz?

Parece que a maioria dos ateus têm problemas com os crentes da Bíblia e principalmente com os cristãos. É fácil de entender. A maioria dos disparates vem de cristãos. Sou uma das poucas pessoas (que eu saiba) que acredita na palavra de Deus mas não em práticas religiosas.image

Ateus

Não tenho qualquer problema com os ateus. A única pergunta que faço é por que são ateus. A maioria das crianças são doutrinados em uma ou outra religião. Muitos são “forçados” a seguirem religiões, sendo enviado para as escolas religiosas e coisas dessa natureza.

A razão de fazer a pergunta é porque muitas vezes, ser ateu é uma forma de se rebelar contra a religião. Algumas pessoas realmente acreditam em Deus embora sendo chamadas de ateu. Elas simplesmente não acreditam em coisas que não fazem sentido. Em outras palavras, é difícil separar os ateus verdadeiros daqueles que simplesmente pretendem ser ateus.

Quanto aos verdadeiros ateus, a única coisa que eu provavelmente deveria dizer é a mesma coisa digo aos cristãos que seguem a religião sem saber o que religião é realmente. Aproveite o tempo para pegar a Bíblia. Você não tem que acreditar nela. Leia como se fosse uma antologia ou coletânea de contos. Você ficará surpreso com quantas mentiras são geradas de ambos os lados da questão.

Como Ser Livre Financeiramente

Há um tempo venho pensando como poderia investir o meu tempo para ganhar dinheiro. Depois de muito pensar cheguei à conclusão que não daria, pois não tenho tempo. Trabalho como empregado dez horas por dia e ainda enfrento três horas de trânsito todos os dias.

Isso realmente é muito deprimente. Não tenho tempo para a minha família, não consigo brincar com o meu filho e ainda nas horas que tenho vaga, que são mínimas, tento descansar um pouco. Dormir até um pouco mais tarde, assistir uma televisão. Quando há a possibilidade de levar a família para passear, o gasto é altíssimo. Uma ida ao shopping, um lanche no MC Donalds ou um cineminha com pipoca… Já se foram pelo menos uns cem reais. Quem nunca passou por isso? Então o que você faz? Minimiza ao máximo o lazer. E o que acontece? Sua esposa briga, pois você nunca tem tempo para a família, nunca leva o seu filho para passear.image

Sua esposa lhe pergunta:
- Meu amor, posso ir a manicure fazer a mão e pé?
E você responde:
- Não vai dar, o orçamento está curto, provavelmente entraremos no vermelho esse mês.

É claro que ela não irá falar nada, pois vê que você dá um duro danado, mas provavelmente pensará: Meu Deus, quando isso acabará? Isso dói na alma, não dói?

E a reforma da lavanderia que se faz dois anos que falta o encanamento do tanquinho. E a pintura da casa que não foi feita desde que você comprou? Isto é, se não for alugada. Não, não tenho nada contra a quem mora de casa alugada, eu tenho quase quarenta anos e consegui comprar a minha há um ano somente. Morei muitos e muitos anos de aluguel, queimei muito dinheiro.

Quantos milhões de pessoas não têm essa mesma vida? Mas será que tem uma saída? Será que há a possibilidade de virar o jogo? Vamos pensar assim, como um rico fica rico? Ou nasce em “berço de ouro” como diz o ditado popular, ou trabalhou para enriquecer.

Em falar em enriquecer, como uma pessoa se enriquece? Lógico que é trabalhando, como você, duro, arduamente. Temos algumas crendices que enriquecer é “pecado”, pecado por quê? Vejamos o que acontece quando uma pessoa como nós, que não viemos de “berço de ouro” temos a possibilidade de enriquecer:
1 – Nos tornamos mais generosos, pois sabemos que como nós, muitas pessoas estão trabalhando para chegar aonde chegamos;
2 – Nos sentimos mais útil, pois com dinheiro, poderemos ajudar aquele amigo ou aquele parente ou até aquela instituição que nos ligava toda semana para darmos uma doação;
3 – Poderemos fazer dar uma vida digna à nossa família;
4 – Poderemos ir ao cinema, Mc Donalds, parques, entre outras coisas.

Pois bem, se você chegou até aqui é porque realmente você que “ganhar dinheiro” e eu posso lhe garantir que isso é possível, como?

Como são feitos os pisos industriais?

Presentes em empresas de pequeno, médio e grande porte, sobretudo em negócios voltados ao segmento químico, os pisos industriais são extremamente vantajosos.

Eles oferecem excelente infraestrutura à empresa, garantido-lhes um piso menos suscetível a danos, suportando grandes volumes de cargas e equipamentos sem gerar danos à estrutura.

Os pisos industriais também são resistentes a produtos abrasivos e mudanças bruscas de temperatura, o que ajuda a manter o chão sempre em ótimo estado para a realização das atividades diárias.

Por ser tão especial, o processo de confecção dos pisos industriais é diferenciado. O primeiro passo é sempre o projeto. Profissionais capacitados analisam o solo e definem o melhor método de confecção para atender as necessidades da empresa.

O projeto é importante, pois oferece ao cliente uma visão do que será realizado, como a verba será gasta e um possível resultado final. Com o projeto também dá para alterar detalhes do piso sem gerar custos adicionais que existiriam caso o trabalho já houvesse iniciado.

Cada projeto de piso industrial varia de acordo com o cliente. Mas, há alguns processos que são comuns, como a compactação do solo, que é feita com equipamentos específicos que nivelam o chão.

Outro passo realizado é a criação de uma base geralmente feita com concreto estrutural (mistura de cimento, pedra, areia e água), procedimento realizado com ferramentas especiais, como a máquina alisadora.

Há ainda a etapa do uso de malhas de aço, que são postas sobre a base de concreto estrutural para aumentar ainda mais a durabilidade e resistência dos pisos industriais.

As malhas de aço são estruturas pré-moldadas que possuem grande aderência ao concreto da base. Por isso, elas garantem melhor ancoragem do piso, além de diminuir as chances de fissuras.

Também há a fase de acabamento do piso industrial, que costuma ser feita com materiais epóxi, como a tinta e argamassa. O epóxi aumenta a resistência do piso e lhe garante um brilho único, resultados obtidos com máquinas de polir.

Já o tempo de conclusão do projeto de pisos industriais varia de acordo com o tamanho da área que recebeu o trabalho e os tipos de materiais utilizados durante os procedimentos.